Connect with us

Cultura

Rivalidade feminina: você sofre disso e não sabe?

Published

on

A coach e psicóloga Rosangela Sampaio fala sobre a rivalidade feminina que nos cerca diariamente e, sem querer, empregamos atitudes nesse contexto

Por Rosangela Sampaio

Mulheres são invejosas, mentirosas, manipuladoras, inimigas, fofoqueiras, se arrumam para outras mulheres e vivem dando mole para os homens.

Atire o primeiro sapato quem nunca ouviu um dos adjetivos acima?

Começa lá na infância, quando começamos a receber as referências históricas sobre o que é ser mulher.  Já tivemos a sexualidade reprimida e distorcida, a ponto de até hoje muitas serem incapazes de se expressar sexualmente, muito menos atingir ao orgasmo.

Durante muito tempo a visão que se teve da mulher ‒ e na qual ela também acreditou ‒era de frágil, desamparada, delicada, dependente, necessitando desesperadamente encontrar um homem que lhe desse amor, proteção e significado para a sua vida, enfim, uma mulher estereotipada.   

Os estereótipos desconsideram a individualidade, ou seja, as características que fazem de cada ser humano um indivíduo único e singular.

Quando as mulheres pensam em feminilidade e autonomia, a conta não fecha. A feminilidade vem associada à fragilidade feminina, afinal, não podemos ser femininas, fortes, independentes e autônomas.

A autonomia implica em ser você mesma, sem negar ou repudiar aspectos da sua personalidade para se submeter às exigências sociais. E sabemos que isso não é uma tarefa fácil diante de toda a pressão que os estereótipos geram. No que diz respeito às mulheres, o questionamento e a superação de estereótipos se tornam um processo que ainda se desenrola.

Rosangela Sampaio é psicóloga, coach, escritora e palestrante

A rivalidade que nos cerca todos os dias

Recebemos diariamente reforços de que mulheres são rivais através de filmes clássicos em que a mulher é uma princesa estereotipada à espera de um príncipe, a madrasta que coloca as filhas biológica e a enteada umas contra as outras em busca de amor, atenção e regalias da casa, e até mesmo a madrasta que envenena a enteada por ser mais bonita

No cenário musical temos vários hits excitando a rivalidade: “Desejo a todas inimigas vida longa”; “Meu sensor de periguete explodiu”; “Beijinho no ombro pro recalque passar longe”; “Copo na mão e as inimigas no chão”; Pra ela dinheiro é mais importante”; “Seu jeito vulgar, suas ideias são repugnantes”; “É uma cretina que se mostra nua como objeto”; “É uma inútil que ganha dinheiro fazendo sexo”; “Mulheres vulgares, uma noite e nada mais”; entre outros.

Na mídia recebemos notícias a todo minuto de mulheres que sofrem com diversas disfunções (ansiedade, depressão, anorexia, bulimia…) na busca pelo corpo “ideal” para “consagrarem” suas carreias como a mais magra, bonita, inteligente e bem sucedida. Sem contar os barracos que acompanhamos quando um casamento termina e a “culpa” foi de outra mulher, só porque é autônoma, assim, automaticamente ela é a origem do “problema”, quase um ET em meio à multidão.

Será que nunca vamos encontrar o caminho de nós mesmas?

Vamos entender um pouquinho de como as coisas funcionam: há barreiras subconscientes que estão entranhadas nas próprias mulheres. O medo e a insegurança são fatores que impedem posturas positivas e comportamentos positivos, minando conexões mais fortes e saudáveis entre as mulheres.

” Já parou para pensar que quando você desqualifica outra mulher, na verdade são suas dores que estão sendo expostas?”

Desqualificando a outra ou você?

A maquiagem que você está usando, a forma como se veste ou sorri, que você contempla a beleza da natureza, olha para um bebê ou paquera um possível pretendente, tudo isso é reflexo de quem é você e do motivo pelo qual está aqui.

Quando usamos todas as nossas forças pessoais nos conectamos com a nossa essência e, assim, somos conectadas com tudo de maravilhoso que está a nossa disposição, entre elas autoconfiança felicidade, realização, amor, criatividade, abundância, segurança, respeito, alegria e saúde.

Tudo em sua vida acontece por uma razão, independentemente se você vê ou não o significado disso em determinado momento, inclusive quando você desqualifica outra mulher. Já parou para pensar que quando você desqualifica outra mulher, na verdade são suas dores que estão sendo expostas?

Quanto mais desafiadora for a dificuldade, maior será a oportunidade de mudar os seus comportamentos e corrigir seus hábitos. Se você passa a maior parte da vida buscando algo que não corresponde ao seu desejo mais profundo de obter plenitude, acabará se sentido vazia, sem alegria e inferiorizada diante de outras pessoas.

Atendo mulheres diariamente, visto que o foco do meu trabalho é saúde emocional da mulher e em suas idas e vindas cotidianas, trabalhamos situações que fornecem o potencial máximo para que se reconectem com a sua essência, consigam realizar todos os seus sonhos, possibilitando que a compaixão natural floresça, reformulando a maneira pela qual nos expressamos e escutamos umas às outras, para desenvolvermos autoamor e desconstruir a rivalidade feminina.

Convido você a aplicar 5 passos para começarmos a desenvolver o seu processo de mudança agora mesmo:

  • Comece a absorver o melhor de cada mulher que cruza o seu caminho;
  • Ajude outras mulheres que precisam de apoio. Que tal um serviço voluntario para ajudar mulheres que sofrem de violência doméstica?
  • Abra o seu coração e os seus olhos. Cada uma de nós têm a sua jornada particular, as ações de opiniões dos outros não é a sua;
  • Se arrume para você com base no que você gosta e faz o seu coração cantar;
  • Não se compare com outra mulher, apodere-se da sua vida e faça a diferença sendo você mesma.

Rosangela Sampaio é Psicóloga e Coach (CRP06/130574). Atende de forma presencial e online. Saiba mais em @rosangelasampaiooficial

Continue Reading

Cultura

Marisa Melo e Alexandra De Basto se unem no projeto UP Time Art Gallery

Published

on

Quando apreciamos, encantados, a luz nos quadros de Renoir ou a noite estrelada de van Gogh, nossos olhos passeiam pelas cores, nossa mente viaja em pinceladas que nos levam para uma outra dimensão. Mas quase nunca pensamos no esforço e nos sacrifícios vividos pelos autores das obras que admiramos.

Não é fácil a vida no disputado mercado da Arte. Seja pelo cenário econômico incerto, seja pelo pouco valor atribuído ao trabalho artístico. A Internet e os caminhos digitais podem contornar as dificuldades e os custos de exposição, mas colocam o artista num universo ainda mais amplo e mais competitivo, que poucos aproveitam como se deve.

Duas artistas se uniram para mudar esse cenário e facilitar a jornada de outros artistas.

Marisa Melo completa um ano impressionante, onde os convites e exposições se sucederam e lhe deram muito destaque no Brasil e na Europa.

Alexandra de Basto, baseada em Portugal, é um talento conhecido, com livre trânsito pelas principais exposições europeias.

Conheceram-se em Paris, no Carrousel du Louvre, e sentiram que, além de promover suas obras, elas poderiam compartilhar experiências e caminhos com outros artistas. Aí nasceu a UP Time Art Gallery.

Além do espaço virtual, elas também se dedicam a auxiliar os artistas não só nas exposições, mas assessorando desde a identidade visual e após exposição. Um trabalho em longo prazo, mas que assegura: o artista não estará sozinho. “O trabalho de promoção é continuo, participamos de todas as etapas”.

Dois pontos tornam esse trabalho revolucionário. Um deles é o acolhimento do artista, com seus sonhos e aspirações, na contramão da competitividade e do individualismo reinantes. O outro é contribuir para o desenvolvimento de uma consciência artística e social em relação a causas locais e globais.

A UP Time Art Gallery vem para nos apresentar os atuais van Goghs, que vão ficar em nossas mentes e em nossos corações.

Serviço:

Site: www.uptimegallery.com
Instagram: @uptimeartgallery
UP Time Art Gallery: The Art Address


Continue Reading

Cultura

Festival de Rap agita a Lapa

Festival Lapa é Rap chega à sua 17ª edição com diversas apresentações, batalha de MC’s e intervenções poéticas no Palco Lapa 145

Published

on

By

Festival Lapa é Rap chega à sua 17ª edição com diversas apresentações, batalha de MC’s e intervenções poéticas no Palco Lapa 145

Quem curte rap e as tradicionais batalhas de MC’s já tem o seu ponto de encontro no Rio de Janeiro. O Palco Lapa 145 recebe o Festival Lapa é Rap na sexta, dia 13 de dezembro, a partir das 22h. O evento, idealizado pelo músico e agitador cultural Kobá Xilon, reúne o melhor da nova cena do Rap em encontros imperdíveis e novidades sempre na segunda sexta de cada mês. A sua 17ª edição, a última de 2020, vai contar com batalha de MC’s, intervenções poéticas e apresentações de Piratta, Odisseia Rap, 780, Kid Black, Chury Gonzales, Viniboy, Faixa de Gaza, Gruta Records e Gabi Siqueira. O evento começa às 22h e a entrada custa R$ 5,00.

Criado pela cantora Rosângela Si, o Palco Lapa 145 abre as portas com o intuito de ser uma casa dos artistas e seus movimentos. Com uma programação eclética, o casarão do final do século XIX está totalmente antenado com o nosso tempo, abraçando a diversidade e as manifestações artísticas em estado puro com festivais, shows, exposições, saraus, gastronomia, rodas de samba, rap e hip-hop e oficinas de dança e iniciação musical.

– Somos a casa da diversidade e da cultura, sempre aberta a todos que queiram mostrar o seu talento e, é claro, para quem está ávido a curtir e descobrir a cena carioca das artes muito além do mainstream – ressalta a fundadora.

A casa fica na Rua da Lapa, 145. Mais informações pelo telefone (21) 98231-0108 ou pelo site www.palcolapa145.com.br

Serviço: 

Festival Lapa é Rap – 17ª edição

Data: 13 de dezembro, sexta-feira

Início do Show: 22h

Entrada: R$ 5,00

Local: Palco Lapa 145

Endereço: Rua da Lapa, 145, Centro.

Mais informações: 

www.palcolapa145.com.br

https://www.facebook.com/events/520564655515023/

Continue Reading

Cultura

Baile do Fera vai sacudir Belo Horizonte

Published

on

Salim Felipe , conhecido como Kuei Felipe BH, é o novo nome do show business e comanda o “Baile do Fera” um dos maiores eventos de música do Brasil Com apresentação de Juninho Love, dia13 dezembro os maiores nomes do funk nacional vão sacudir Belo Horizonte com os hits de Kevinho , Jottape , Mano Brown, Matue , Kevin O Chris e muito mais. “Se ninguém acredita em você não importa ! Acredite você mesmo e siga em frente”, disse o empresário.

Juninho Love (crédito: Bruno alemão) e Salim Felipe , conhecido como Kuei Felipe BH


Continue Reading

Trending

Copyright © 2019 Gazeta Nacional. Design by EGOBrazil.