Connect with us

Geral

Gustavo Martins, funcionário público e praticante de Crossfit, fala sobre sua rotina agitada.

Published

on

A era digital, em que cada vez mais as pessoas expõem suas vidas e rotina, ocasionou o surgimento de uma nova profissão que chamamos de “digital influencer”. Os digitais influencers trazem consigo a missão de influenciar positivamente e inspirar pessoas na busca por seus objetivos. Este é o caso de Gustavo Martins, carioca de 29 anos, que divide suas atividades diárias entre a prestação de serviços como funcionário público federal concursado há 6 anos. A vaga foi conquistada após muito estudo e dedicação, iniciando a carreira em 2013.
 
Em 2014, incomodado com a vida sedentária que vinha levando, devido ao foco exacerbado na profissão. Todo esse empenho fez com que o funcionário público acabasse deixando um pouco de lado as questões referentes à sua saúde, até se decidir por iniciar atividades de musculação.


 
A partir do esforço diário e toda a dedicação, Gustavo se viu em uma vertente completamente diferente em 2016, quando se tornou fisiculturista, dando como que ele considera como “a volta por cima”. Na ocasião, foi necessário que o digital influencer eliminasse 25 quilos em apenas 6 meses para que fosse autorizado a competir.
 
Gustavo Martins permaneceu durante dois anos como atleta de fisiculturismo, conciliando a rotina de atleta com a vida com o trabalho, sagrando-se campeão na categoria Men’s Physique.
 
Os excelentes resultados alcançados e a disciplina, força de vontade, e foco diário em suas atividades deram a Gustavo uma nova oportunidade. Aos poucos, o até então funcionário público, que havia cursado anteriormente Direito e se formado em Marketing, foi ganhando espaço nas mídias sociais como digital influencer e fazendo muito sucesso especialmente com suas fotos na praia.
 
Gustavo Martins fala sobre essa diversificação de atividades: “como sempre gostei de me desafiar e testar meus limites, em 2018 larguei a musculação e o fisiculturismo, dando início aos treinos de Crossfit”, conta o digital influencer.
 
A rotina diária compartilhada por Gustavo com seus seguidores através do Instragram @gustavo_martiins tem conquistado a cada dia um público mais fiel, a espera de suas publicações: “a passagem pela musculação e pelo Crossfit e minha mudança de vida fizeram com que eu ganhasse cada vez mais seguidores no Instagram, que agora está bombando”, afirma Gustavo Martins, que conta com aproximadamente 260 mil seguidores em todo o Brasil.
 
Além da rotina, o funcionário público e digital influencer compartilha ainda dicas de dieta, treinos e uma dose de motivação diária para seus seguidores.

Continue Reading

Geral

Especialista em obesologia, médico Louis Goldstein afirma que reposição hormonal nunca foi o vilão da história

O tabu a respeito da reposição hormonal vem sendo superado pelos mais diversos gêneros

Published

on

A terapia de reposição hormonal é um tratamento eficaz para aliviar sintomas comuns que acompanham a menopausa – a lista inclui ondas de calor, ressecamento vaginal e mudanças de humor. Também é indicada para prevenir a perda óssea que ocorre a partir dessa fase e que, em longo prazo, pode levar à osteoporose. Saiba mais.

A quebra do preconceito

Mudar a cultura do homem sobre a medicina preventiva é o grande desafio não só da medicina como da Política Nacional de Promoção e Atenção à Saúde do Homem. 

O comodismo, a vergonha e até o medo de descobrir alguma doença faz com que os homens não freqüentem os ambulatórios de atendimentos como as mulheres. 

Dados do Ministério da Saúde mostram que em 2007, as mulheres se submeteram a cerca de 17 milhões de consultas preventivas, enquanto apenas 2,7 milhões de homens procuraram os médicos para exames regulares.

Reposição de hormônios em mulheres com menopausa

Quando chega a menopausa, a reposição hormonal desperta uma dúvida shakespeariana na cabeça feminina. Em tese, recarregar hormônios naturalmente em queda faria sentido para amenizar os sintomas no corpo, como fogachos, ganho de peso e alterações de humor. Na prática, porém, a questão é mais complexa: existem efeitos colaterais que precisam ser colocados na balança.

A verdade é que a reposição hormonal tem seus préstimos quando bem indicada – o que requer uma avaliação médica individualizada e pormenorizada. Há o momento certo para entrar com os hormônios sintéticos, e eles não são uma opção quando já há histórico de câncer de mama na família. No entanto, em um contexto adequado, a reposição pode, sim, melhorar a qualidade de vida.

Reposição de hormônios em homens com andropausa

Os homens dificilmente se queixam de problemas de saúde, mesmo quando o vigor físico e o desejo sexual diminuem de uma hora para outra, a irritabilidade diante dos pequenos problemas aumenta e os pelos começam a cair sem nenhuma explicação. 

Quando, por fim, decidem procurar um urologista (mais de 50% do público masculino nunca pisou num consultório desse especialista), os médicos tampouco investigam os sintomas adequadamente. 

Reposição hormonal masculina é um tema considerado repleto de tabus e dúvidas por muitos homens. A diminuição de produção hormonal masculina, diferentemente da Menopausa, não determina o fim da fertilidade para o homem, apenas uma diminuição dela.

A Terapia de Reposição Hormonal Masculina deve ser indicada para todos os homens que apresentam os sintomas de queda hormonal e que não apresentem contraindicações para seu uso. Ela pode ser administrada através de gel, adesivos cutâneos ou injeções.

Antes de recorrer à terapia, é necessário que o paciente comprove a queda na taxa de hormônios, através de exames laboratoriais, com acompanhamento médico.

O Dr. Louis Goldstein explica que a falta de informação do público masculino a respeito da própria saúde se deve ao fato de que os homens tendem a priorizar outras tarefas em detrimento da saúde. Eles não deixam de ir apenas ao urologista, também não consultam outros médicos, não sabem se têm doenças como diabetes e pressão alta e têm um enorme preconceito em relação a exames como o toque retal, um procedimento que não dura nem 30 segundos e é importante para detecção do câncer de próstata. Sobre a queda de testosterona, então, nunca ouviram falar.  

Hormônios devem ser administrados sempre com orientação médica

Os hormônios são substâncias muito importantes para o nosso corpo e, se estiverem em falta, podem prejudicar muito a qualidade de vida. Por isso, saber identificar os sinais de alerta que indicam que é preciso fazer uma reposição hormonal é extremamente importante.

Uma vez que os hormônios geralmente são utlizados como medicamentos. Seu uso secundário é para a reposição. Por isso, as vezes soa tão contraditório. Como exemplo pode-se utilizar um remédio para perder a fome que cujo seu efeito colateral seja convulsão.

Além dos exames, existem alguns sinais – por exemplo, pele seca e cabelo quebradiço, lentidão na fala, cansaço e facilidade para engordar pode ser um indício de que há pouca quantidade do hormônio da tireoide; no caso de muita sede e vontade de urinar, pode ser falta de insulina; em mulheres que param de menstruar, ficam com muito calor e perda de libido, pode ser falta de estrógeno; meninos adolescentes que chegam aos 14 anos sem sinais de puberdade podem precisar de testosterona; já crianças muito baixas ou que engordam muito fácil talvez precisem tomar o hormônio do crescimento.

Porém, o é ressaltado também que o uso de certos hormônios pode também ser prejudicial. Por exemplo, no caso do estrógeno, geralmente usado por mulheres na menopausa para deixar a pele boa, o humor agradável, a libido em alta e também aumentar a ovulação, há o risco maior da paciente desenvolver câncer de mama e útero. 

O risco também vale para a testosterona, que pode deixar a mulher mais musculosa, mas se tomada em excesso, pode ter consequências, como o aumento da quantidade de pelos no corpo

Continue Reading

Geral

Bruno Beirute encara Guilherme Farias no SFT 19 de olho no cinturão do evento

Published

on

Atleta do litoral paulista fará sua estreia na organização

Representante da Charles Oliveira Gold Team, Bruno Tavares acertou recentemente o contrato para lutar na décima nona edição do SFT (Standout Fight Tournament). O lutador natural da cidade de Guarúja, litoral paulistano, vai enfrentar Guilherme Faria no próximo dia 21 de dezembro. Negociando para lutar em outra organização, “Beirute” como também é conhecido decidiu aceitar o convite do SFT pela grande visibilidade que o evento vem tendo dentro do cenário nacional:

— Já vinha treinando forte devido a uma luta que estava marcada, mas como o Magno, machmaker do SFT entrou em contato comigo, eu e o Charles “do Bronx” decidimos aceitar essa oportunidade.

Vindo de uma grande vitória na sexta edição do Future FC, quando derrotou Alex “Valente” em uma das melhores lutas do evento, o lutador vive uma das melhores fases de sua carreira. Rival do atleta no SFT 19, Guilherme Faria vem de uma curta passagem fora do país, onde somou dois reveses na carreira, tanto pelo Fight Time Promotions, quanto pelo Legacy. Questionado sobre o que sabe do rival, Bruno revelou pouco conhecimento, porém, demonstrou respeito ao próximo adversário:

— Sobre o Guilherme Farias, eu não tenho muitas informações, sei que ele estava fora do Brasil, e que está há algum tempo sem lutar, mas ainda pretendo buscar mais informações para montar a estratégia para o combate.

São 13 vitórias conquistadas, 4 derrotas e um empate registrado no cartel de Bruno Beirute. Oriundo do Jiu-Jitsu, o lutador que já finalizou 6 oponentes na carreira deve apostar na arte suave para anular o rival que tem como especialidade a trocação. De olho no cinturão peso-pena do evento, Bruno Beirute deve pedir uma oportunidade pelo título caso vença seu oponentes no SFT 19:

— Com certeza se vencer e fizer uma grande luta vou pedir o cinturão da categoria. Estou focado para essa luta do dia 21, e sei que coisas boas estão por vir — finalizou Bruno Beirute.

O duelo entre Bruno Tavares e Guilherme Faria está sendo negociado para estar no card principal do evento, transmitido com exclusividade pela Band em território nacional.

Continue Reading

Geral

É possível vencer a crise através do empreendedorismo mesmo se tem mais de 35 anos, afirmam especialistas

Published

on

O que fazer quando estamos em tempos de crise as oportunidades de emprego parecem ter desaparecido? Esta é a pergunta que milhões de brasileiros têm feito. Hoje o país com 13 milhões de desempregados aos poucos tenta se levantar de uma de suas mais severas crises, mas com o mercado em lenta recuperação, ainda são poucas as oportunidades, em especial para pessoas que já estão fora da faixa etária considerada ideal.

O casal de empreendedores Rodolfo Santos e Mariana Tessaroto, autores do livro “Pessoas precisam de Pessoas”, acreditam que o empreendedorismo é uma solução para vencer em tempos de crise: “O empreendedorismo é sempre a saída que muitos encontram para prosseguir com suas vidas e seus sonhos. Muitas pessoas perderam seus empregos após 20 ou 30 anos de dedicação a uma profissão ou a uma empresa e agora não sabem o que fazer, já que o mercado não lhes dá oportunidades tanto por causa da crise como por terem mais idade”.

Mariana Tessaroto/ Rodolfo Santos / MF Press Global

Rodolfo Santos conta que mesmo as pessoas com mais idade são capazes de contribuir e produzir e que têm plena capacidade de dar a volta por cima através do empreendedorismo: “Sempre que se fala em contratar funcionários, as empresas focam em pessoas entre 20 e 35 anos, quase sempre, descartando funcionários com mais idade. Com o crescente número de desemprego no país, pessoas com mais idade encontram poucas oportunidades de serem inseridas no mercado novamente. Assim, o caminho que estão encontrando é o de se tornarem empreendedores para gerarem renda e se manterem”.

Uma pesquisa realizada pelo Sebrae aponta que 7% dos empreendedores brasileiros têm mais de 65 anos, isso representa cerca de 2,2 milhões dos novos empreendimentos no país: “até porque muitos não conseguem manter o padrão de vida com o valor da aposentadoria e precisam se manter profissionalmente ativos para complementar a renda”.

Rodolfo Santos/ Rodolfo Santos / MF Press Global

Vantagens de empreender depois dos 35 anos

E quem não acha uma boa ideia empreender depois dos 35 anos está enganado. Rodolfo Santos aponta que várias são as vantagens de empreender mesmo que fora da faixa etária considerada ideal: “uma pessoa neste perfil tem muita experiência e maturidade, com lições aprendidas pelos erros e acertos, e já vem com uma rica bagagem de conhecimento, além de um bom networking, tendo o contato de diversas pessoas, de diferentes áreas e que podem contribuir para o crescimento desse empreendimento”, destaca.

Rodolfo também destaca que pessoas com mais idade em geral têm menos gastos pessoais: “Assim já não acumulam tantas dívidas e isso ajuda muito em relação àqueles que estão começando a vida e adquirindo diversos bens materiais”.

Continue Reading

Trending

Copyright © 2019 Gazeta Nacional. Design by EGOBrazil.