Connect with us

Cultura

GRUPO ARRUDA FAZ TRIBUTO A REINALDO NA FEIJOADA DO RENASCENÇA

Published

on

Léo Queiroz - GRUPO ARRUDA FAZ TRIBUTO A REINALDO NA FEIJOADA DO RENASCENÇA

Após uma temporada inteira em que prestou homenagens post mortem a diversas personalidades do samba, o Grupo Arruda criou o Projeto Flores em Vida, onde a ideia é prestar reverência aos gênios da música brasileira que permanecem entre nós.

O primeiro escolhido pelo grupo foi o poeta Cleber Augusto, e a razão da escolha foi simples. Uma das principais referências do Arruda é justamente o grupo Fundo de Quintal, que tem, dentre seus grandes sucessos, várias composições de Cleber, que também, como é sabido, fez parte do Fundo durante 21 anos, e emplacou nada menos que 23 composições de sua autoria, em 24 discos.

Reinaldo seria o próximo escolhido, infelizmente não deu tempo. Foi aí que o Grupo decidiu fazer uma grande homenagem na Feijoada do Clube Renascença no próximo domingo (01) a partir das 13h.

Idealizado por amigos músicos de Vila Isabel, o Grupo Arruda nasceu em 2005, de uma roda de samba que era realizada em frente aos ensaios da Mangueira, conhecida como “Pagode da Arruda”, que reunia todos os sábados centenas de amantes do gênero. Seu início foi um movimento amador, idealizado para cantar e tocar os grandes mestres da música popular e sambas antigos da Estação Primeira, no qual seus integrantes levavam galhos de arruda para as rodas, a fim de energizar o local. De lá para as melhores casas de shows e rodas de samba do Rio de Janeiro e São Paulo, o Arruda se profissionalizou e completa, em 2019, 14 anos, fielmente dedicados ao mais brasileiro dos ritmos.

Quanto à identidade musical, pode-se dizer que o Arruda é um representante do autêntico samba. Suas influências, são, claro, Fundo de Quintal, Cartola, João Nogueira, Clara Nunes, Roberto Ribeiro, etc. Mas admira o samba de roda da Bahia, explora bem a baianidade de Caetano, Gerônimo e Roque Ferreira. Utiliza cavaco com afinação de bandolin. Possui dois cantores, um homem (Nego Josy) e uma mulher (Maria Menezes), com timbres marcantes e ao mesmo tempo bem diferentes. O grupo adora o lado místico e religioso dos AfroSambas, e tenta incutir em sua identidade uma mistura do que há de melhor em nossa música popular.

O Arruda é formado por oito integrantes. Sua batucada, uma das mais elogiadas do cenário do samba carioca, é composta por Gustavo Palmito (repique de mão e percussão geral), Fabão Araujo (surdo), Marcelinho (tan tan), Anderson Popó (percussão geral), Nego Josy (voz e pandeiro); somada à harmonia impecável de Vitor Budoia (violão) e Armandinho do Cavaco (cavaquinho), e à voz marcante de Maria Menezes, para muitos considerada a melhor cantora da nova geração do samba, vencedora da Mostra de Novos Talentos Carioca da Gema 2010, e indicada ao 29o Prêmio da Música Brasileira no Teatro Municipal com o Projeto EPreta. Este é o Grupo Arruda!

Saiba Mais sobre o Arruda

Spotify

Youtube

https://www.youtube.com/channel/UC8iY8EK1YTjwkGgR4IzbZ7Q

Serviço

Grupo Arruda presta Tributo a Reinaldo na Feijoada do Renascença

Data: 01/12/2019 (domingo)

Abertura da bilheteria: 12h

Abertura da casa: 13 h

Local: Clube Renascença

Endreço: Rua Barão de São Francisco, 54, Andaraí

Ingresso: R$ 20

· A feijoada é vendida separadamente R$ 25 e a mesa R$ 20

· Obs: o clube não faz reserva

Continue Reading
Advertisement

Cultura

Wagner Pereira relembra dificuldades na juventude e projeta 2021 vencedor

Published

on

xwhatsapp image 2020 09 10 at 09.32.25.jpeg.jpg.pagespeed.ic .TaiAstjzdJ - Wagner Pereira relembra dificuldades na juventude e projeta 2021 vencedor

Conhecido por ser um dos grandes empreendedores no mundo digital, Wagner Pereira viu sua vida mudar completamente a partir de 2012. Adepto ao universo das redes sociais desde 2009, o profissional passou a investir em páginas que tratavam de entretenimento, lazer e principalmente signos.

“Quando comecei a trabalhar eu não tinha nada, e morava de favor, hoje, aos poucos, conquisto minhas coisas”, conta Wagner, que tem 25 páginas espalhadas pela rede social Instagram e conta com mais de 10 milhões de seguidores.

Porém, nem sempre foi tão fácil assim. Ao relembrar a infância, Wagner se emociona ao falar da forma que sua mãe o criou, afinal, veio de uma família carente. Por isso, tudo que conquistou nestes últimos anos foi sempre tendo tanto a mãe, quanto as irmãs como base.

“Fui criado no meio de mulheres e desde cedo vi o quanto minha mãe lutou pra sustentar a gente enquanto minha vó educava e cuidava de nós. Tenho três irmãs mulheres e olhava a dificuldade que elas passavam, assim como minha mãe, por isso que todo o conteúdo que eu crio, 99 por cento são para elas”, enfatiza.

O empreendedor digital também fala sobre os planejamentos de 2021. Por mais que o ano em questão tivesse sido repleto de novidades, muitas delas não tão positivas, por conta da pandemia de Covid-19, Wagner deixa claro que não tem o que reclamar e os planos estão a todo o vapor.

A primeira das ideias é criar um curso para que as pessoas comecem a aprender sobre ganhar dinheiro nas redes sociais. Depois disso, ele sonha em colocar em prática um sonho de criança, que é escrever um livro voltado para as mulheres, inspiração que tem desde criança, quando via sua mãe escrevendo. A outra novidade será o lançamento de uma loja virtual. Nomeada de ‘Assíduas’, a marca fará uma menção às mulheres:

“A marca está em fase de registro, por enquanto estamos fazendo canecas, camisetas, chinelos, mas a intenção é ser uma marca que tem de tudo! Eu quero me tornar uma empresa conhecida no Brasil e no mundo por oferecer serviços para todos, mas, principalmente para as mulheres”.

Continue Reading

Cultura

Elisa Gatti, a Mãe Musical, faz música pop para crianças e cuidadores

Published

on

22c8687a 65da 44ba a7d6 3f60775999ce - Elisa Gatti, a Mãe Musical, faz música pop para crianças e cuidadores

A compositora e cantora paulistana Elisa Gatti, autora de mais de 200 canções, é a única brasileira de uma família de italianos. Inevitavelmente, a música sempre fez parte de sua formação e de sua infância.Com apenas quatro anos começou a tocar violão, aos oito compôs sua primeira canção, e nunca mais parou.

Com o sonho de levar seu trabalho a mais pessoas, durante sua adolescência e juventude participou de alguns programas de televisão e vários festivais de música no Brasil e Itália.

Em seguida, ingressou no universo da publicidade. Apesar de ser formada em Administração de Empresas pela FEA-USP, construiu sua carreira profissional como criativa paralelamente à carreira musical. Passou pelas maiores agências do país, se tornou Diretora de Criação e suas campanhas publicitárias sempre tiveram a música como marca registrada.

Grandes artistas como Daniel, Michel Teló, Tatá Werneck, Solange Almeida e Wesley Safadão, gravaram algumas de suas canções para campanhas publicitárias.

Em 2015, decidiu empreender e criou a empresa Músicas Personalizadas que, como o próprio nome diz, faz músicas sob encomenda, baseadas nas histórias das pessoas. Ronnie Von e Daniel também foram personalidades que tiveram músicas feitas com a história de suas vidas.

Mas foi em 2019, quando sua filha Chiara (11 meses) nasceu, que Elisa viu nascer junto o grande projeto de sua vida: o Mãe Musical, uma plataforma que reúne suas composições infantis e outros conteúdos musicais.

Para lançar o projeto, Elisa preparou com muito carinho o álbum Não Entendo, com 12 músicas autorais, que trazem uma sonoridade e conceito bem diferentes do que existe hoje no universo infantil. Além disso, 6 ilustradores e 3 animadores vêm dando uma cara única para as animações que acompanharão as canções. Cada uma terá uma identidade visual diferente, todas muito modernas e feitas para estimular os cuidadores a consumirem o conteúdo com as crianças.

“Música pop para crianças e cuidadores de todas as configurações familiares. É isso que quero fazer. Quero mostrar que a música pode ser uma ferramenta potente de aproximação adulto-criança, integração, educação e criatividade.” afirma a criadora do projeto.

O projeto Mãe Musical também se diferencia por ter um rosto verdadeiro e não ser ancorado em um personagem construído. Elisa é mãe, compositora, cantora e usa a música no dia a dia com sua filha.

Além do álbum, previsto para lançar seu primeiro single em setembro, o projeto trará tutoriais com a própria artista ensinando os acordes das canções aos cuidadores; “Histórias para contar e cantar”, com resenhas mensais de livros e canções compostas com suas histórias; entrevistas, animações e muitos momentos musicais.

Sem dúvida, Elisa é uma artista que traz uma nova linguagem pro universo musical infantil.

 

Continue Reading

Cultura

Projeto Sarau em Casa recebe Filipe Cavalieri nesta quinta (17)

Published

on

By

FILIPE CAVALIERI - Projeto Sarau em Casa recebe Filipe Cavalieri nesta quinta (17)

Produtor e professor renomado fala da sua trajetória e dos bastidores do mundo da música

 

O “Sarau em Casa” desta quinta, 17 de setembro, recebe o produtor e professor Filipe Cavalieri para um bate-papo regado a muitas histórias. Sempre às 21h, o projeto de lives semanais é organizado pelo coletivo Casa Com a Música em parceria com o Sindicato Nacional dos Compositores Musicais (SNCM).

 

O carioca Filipe Cavalieri é sonoplasta, produtor executivo, artístico e fonográfico, com diversos discos premiados no Brasil e no exterior para gravadoras como Carmo, Kuarup Discos, EMI, Sony, Velas e Som Livre. Desenvolve, formata e executa projetos culturais com foco nas variadas manifestações da cultura brasileira. No currículo, coleciona dezenas de projetos para Egberto Gistmonti e outros diretores, como Mônica Simões (na Bahia) e Vicente Duque Estrada (no Rio de Janeiro), gravou diversas trilhas sonoras para filmes importantes, como “Pra Frente, Brasil”, “Avaeté” e “Estorvo”, balés, como “Sonhos de Castro Alves”, e trilhas para teatro, como a produção francesa “O Pequeno Príncipe”.

 

Promove cursos de qualificação profissional nas áreas de música e audiovisual em comunidades no Rio de Janeiro, como Rocinha, Mangueira e Providência, para sindicatos e centros culturais. É professor de áudio na Faetec-RJ. Proprietário do Estúdio Livre, em Salvador e agora no Rio de Janeiro; onde desenvolve projetos especiais para seu selo O Rei do Batuque, voltado para a memória da música brasileira instrumental em especial.

 

Na área de eventos foi coordenador de produção do Hartz Festival (RS); Skol Supercross (nacional); Feira dos Municípios e Festa do Interior (BA); Fenagro (BA); Casa do Carnaval (BA); Costa Verde Tênis Clube (BA); Sunpower Brazil (Jimmy Cliff, também como agente para a América do Sul) e realizador da Bob Marley Exhibition, exposição oficial inglesa que retrata a vida e obra do mestre do reggae em Buenos Aires e diversas cidades brasileiras. No CCBB RJ, foi produtor, fornecedor e sonoplasta nas performances musicais durante as exposições Arte da Áfrika e Por Ti América, com direção de Via Negromonte em ambas. Gerenciou turnês nacionais (Olodum, Timbalada, Xangai, Margareth Menezes, entre outros) e internacionais (Jimmy Cliff, Alpha Blondy, Hermanos Abalos e The Wailers).

 

Sarau em Casa

 

O Sarau em Casa realiza lives semanais com o propósito de abrir espaço para a diversidade e riqueza das manifestações artísticas, além abordar temas relevantes para a cultura. É uma extensão online do evento Sarau ComVida, paralisado por causa da pandemia de Covid-19. Desde 2019, o Sarau ComVida abriu espaço para mais de 100 artistas mostrarem seus trabalhos, de nomes de peso da música brasileira, como Robertinho Silva, Jane Duboc, Carlos Dafé, Azymuth, Kiko Continentino, Mauro Senise e Reppolho, à nova geração, como Abufela, Beraderos, Luciane Dom, Chelle, Nana Kozak, Anna Moura, Lílian Bonard e Soul Guanabara.

 

Ao longo da transmissão, o público poderá participar com perguntas e comentários, além de fazer contribuições conscientes por meio do “Chapéu Virtual” para manutenção e as ações sociais da Casa Com a Música e o SNCM. Para assistir à live, acesse www.facebook.com/sndcompositores ou www.instagram.com/sncmlapa

Continue Reading

Trending

Copyright © 2020 Gazeta Nacional - Grupo Michelasi de Comunicação