Connect with us

Saude e Beleza

Dr. Marco Moscatelli, neurocirurgião, especialista em cirurgia da coluna e cirurgia endoscópica da coluna, conta em entrevista tudo sobre a hérnia de disco:

Published

on

 – O que é e o que leva uma pessoa a desenvolver hérnia de disco?

 A hérnia de disco é a saída do conteúdo interno do disco intervertebral, que age como amortecedor da coluna , pela ruptura do anel fibroso e é causada por diversos fatores. As principais causas de hérnia de disco estão relacionados com o desgaste do disco por envelhecimento, sobrecarga das estruturas da coluna e a falta de fortalecimento muscular em volta da Coluna.

Outras causas importantes são os acidentes, esforço físico excessivo, tabagismo, alterações do colágeno, dentre outras causas.

– Como tratar da hérnia de disco sem recorrer à cirurgia?

O tratamento de hérnia de disco conservador é optado sempre que o paciente não tenha indicação cirúrgica de urgência. É realizado o tratamento medicamentoso com analgésicos, relaxantes musculares, antiinflamatórios dentre outras medicações. Associado a este tratamento, realizamos fisioterapia em diversas modalidades principalmente com Terapia manual, Osteopatia, fisioterapia convencional, RPG, alongamentos, acupuntura, pilates e fortalecimento muscular, perda de peso obtendo melhora em 80-90% dos casos.

– Como o aumento da longevidade da população se relaciona com o aumento do número de casos?

Com o aumento da longevidade e, consequentemente, o maior desgaste da coluna e suas estruturas, ocorrem com maior frequência os problemas na coluna e a hérnia de disco. O ressecamento e desidratação do disco intervertebral propicia o aparecimento de rupturas no anel fibroso que segura a parte interna do disco o qual é mais mole, assim ocorrendo seu extravasamento e com isso a hérnia de disco.

– Quais são os sinais de que será preciso fazer uma cirurgia?

O tratamento clínico é optado na maioria das vezes, com fisioterapia, fortalecimento e medicamentos. Após a falha desse tratamento que varia entre 6 e 8 semanas, podemos indicar o procedimento visando a melhora do quadro de dor e retorno às atividades cotidianas, com menor risco de dor crônica. Porém se o paciente apresente déficit neurológico agudo com menos de 3 semanas de instalação do quadro, indicamos cirurgia de urgência.

– Quais as vantagens da cirurgia vídeo endoscópica? Como o processo é realizado?

A cirurgia endoscópica da coluna ou Vídeo cirurgia de coluna é um dos procedimentos mais atuais na área da cirurgia de coluna. Iniciado há mais de 20 anos nos países asiáticos e na Alemanha, está em constante aperfeiçoamento e avanços cada vez com mais tecnologia empregada. A cirurgia é realizada sob anestesia geral ou local com sedação. Realizamos o procedimento Endoscópico da coluna através de um corte de 7mm, com dilatação da musculatura ao invés de cortar, utilizando um Endoscópio rígido e câmera Full HD apresentando alta definição de imagem com aumento de até 400x. Com essa tecnologia podemos realizar diversos procedimentos, tendo total acesso e distinção das estruturas com a nitidez e precisão necessárias para uma cirurgia de qualidade. Pode ser realizado em qualquer nível da coluna, tanto cervical, torácica quanto lombar, com menor risco de sangramento e infecção. O procedimento é realizado em sistema de hospital dia , com alta 4h após o procedimento.

– O procedimento minimamente invasivo é mais caro que o tradicional?

Como todo avanço e tecnologia, a endoscopia de coluna é mais cara do que a cirurgia convencional se analisarmos a curto prazo e dados imediatistas, porém, se analisarmos como os países de primeiro mundo, vemos que a longo prazo, o procedimento se torna mais barato, pois o paciente fica menos tempo internado, menos risco de infecções e uso de antibióticos, retorna mais precocemente ao trabalho não sobrecarregando a previdência E as empresas, com menos gastos com fisioterapia, melhor qualidade de vida e bem estar alem de menos gastos com medicações. Todos esses fatores a longo prazo tornam muito mais barato do que procedimentos convencionais.

– Além da hérnia de disco, quais outras doenças de coluna são recorrentes?

 A hérnia de disco tem a prevalência de 3-4 % das doenças da coluna. Possui sua importância pois é a doença de coluna que mais leva o paciente para a cirurgia, porém não é apenas a hérnia de disco que acomete a coluna apresentando também artroses, estenose (estreitamento) do canal vertebral, compressões neurológicas e na maioria das vezes associado ao sedentarismo.

– Má postura é prévia de problemas no futuro?

Os estudos atuais atribuem a má postura e a alteração do balanço sagital , um dos fatores de dores lombares e alterações de envelhecimento e degeneração da Coluna. A boa postura é um dos principais fatores de proteção para futuros problemas da coluna associado ao fortalecimento.

– Você escreveu dois trabalhos científicos sobre a cirurgia de coluna em vídeo no Brasil. Fale um pouco sobre eles.

 Em 2014 publicamos a primeira descrição da técnica totalmente endoscópica da coluna lombar em Campinas em conjunto com Dr. Vargas um dos maiores nomes na endoscopia nacional, sendo o primeiro trabalho da literatura nacional na área. Em 2016, publiquei uma grande revisão de casos meus operados por essa técnica em natal , comparando com casos de microdiscectomia (cirurgia convencional ), demonstrando as qualidades e benefícios da cirurgia minimamente invasiva por Vídeo Endoscopia, já bem estabelecidos em áreas como cirurgia geral, ortopedia, urologia dentre outras áreas. Hoje faço parte como instrutor internacional da maior desenvolvedora de endoscopia de coluna do mundo, ministrando cursos nacionais e internacionais na área.

– A prevenção é sempre o melhor remédio?

Com certeza a prevenção sempre é o melhor tratamento para as patologias da coluna assim como em qualquer área da medicina. Por isso investimos muito em informação e conteúdo para nossos pacientes em nossa clinica.

Mais informações: @dr.marco.moscatelli

Continue Reading

Saude e Beleza

Músculos e moda: Confira dicas do campeão de fisiculturismo Italo Costa para aliar elegância com o shape

Published

on

Eis o dilema: Você se dedica com o objetivo de alcançar o shape dos sonhos, como costumam chamar os frequentadores de academia. Após anos de dieta, treino e acompanhamento, você nota que peitoral e os braços estão maiores, a linha da cintura menor, que a barriga sarada está em dia, mas que perdeu boa parte das suas roupas, que já não lhe servem mais. Será que é preciso sempre escolher entre estar na moda e ganhar massa muscular?

O campeão de fisiculturismo Italo Costa afirma que moda e músculos podem sim andar lado a lado. Italo é um dos embaixadores do WBFF (World Beauty Fitness Fashion) no Brasil, que tem como lema a elegância da alta costura e do mundo fashion sem abrir mão da melhor forma física possível e de um corpo musculoso e diferenciado, onde cada atleta é sua própria obra de arte:

“O WBFF vai muito além das competições tradicionais de bodybuilding. Os campeões não são aqueles que apenas apresentam melhor condicionamento e definição, mas um conjunto  que vai além dos músculos, contemplando um conceito completo de beleza, que leva em consideração a elegância, estilo, boa apresentação e presença de palco. Logo, acredito sim que não é porque o corpo de um atleta destoa das medidas padrão que ele não possa se vestir bem”.

Aliando músculos e fashion

Italo Costa dá dicas de como aliar um shape diferenciado com a elegância: “Eu por exemplo recorro a uma alfaiataria, a Browns Rigor, que me veste para todos os eventos, para fazer as minhas roupas, pois é a melhor opção já que a nossa proporção foge do comum. O shape de um atleta de fisiculturismo tem ombros e braços largos e cintura super fina, ou seja, fica difícil encontrar roupas prontas que fiquem adequadas à nossa proporção, pois na medida que pedimos um número maior por exemplo, acabamos vestindo algo moldado para uma cintura também mais larga, ficando desproporcionais ou até dando a impressão de uma barriga saliente, por exemplo. Para manter a linha fashion e também mostrar o lado fit, procurar usar trajes mais alinhados e secos com barras mais curtas é uma ótima dica”.

O atleta também revela o que gosta de incluir no seu vestuário: “Tenho um gosto muito próprio,  peculiar. Sou adepto do clean, de que menos é mais, porem gosto de incluir acessórios para modernizar o look, principalmente no frio. Às vezes o simples contextualizado é simplesmente incrível. Simplicidade alinhada é o novo preto”

Continue Reading

Saude e Beleza

Muri Rodrigues será jurada do WBFF Brasil e ministrará workshop para atletas

Published

on

A atleta profissional e apresentadora Muri Rodrigues, um dos nomes mais conhecidos do fitness brasileiro, será uma das juradas do WBFF Brasil 2019, que é considerado o maior e mais glamoroso evento fitness do mundo.

O evento acontece dia 12 de outubro em São Paulo. É a segunda vez que o evento acontece no Brasil reunindo atletas em busca do Pro Card.

Workshop

Antes do WBFF, Muri estará com outros quatro atletas Pro do time elite do WBFF ministrando um workshop sobre posedown, dicas e tirando duvidas de atletas participantes, amantes do esporte e admiradores do fisiculturismo.

O workshop acontece às 14h30 na Academia Le Cinq, em São Paulo, no Bairro do Jardins.

Continue Reading

Saude e Beleza

Bichectomia é indicada pra todos? Especialista responde

Published

on



A bichectomia está em alta. O procedimento tem sido muito procurado pelas celebridades. O desejo por uma aparência mais magra e feições mais finas é o principal atrativo desta cirurgia plástica que se torna cada vez mais acessível.

A Dra. Ana Paula Quinteiro Moro, especialista em procedimentos da face e crânio, explica porque a bichectomia está se tornando tão popular até mesmo entre não famoso: “um dos grandes trunfos é o fato de o procedimento ser pouco invasivo e de recuperação rápida, além de poder ser realizado não apenas por cirurgiões plásticos, mas por dentistas e dermatologistas habilitados, estão entre os fatores que democratizaram esse sonho de beleza em nosso país”.                                                                                                

Como é o procedimento ?  

A Dra. Ana Paula conta detalhes sobre o procedimento: “Bichectomia consiste na cirurgia para retirada das chamadas bolas de Bichat, bolsas de gordura depositadas nas bochechas (entre a mandíbula e o osso zigomático)  e não têm uma função definida. Como se trata de um tipo de gordura que não é usado pelo organismo como fonte de energia, não diminui com dieta e atividade física. Muitas pessoas acabam recorrendo ao bisturi na tentativa de afinar o contorno facial. O procedimento pode ser feito em centro cirúrgico ou consultório, sob anestesia local, e normalmente dura menos de uma hora. O profissional faz uma incisão de cerca de 1 cm de comprimento no interior da bochecha para deslocar a a gordura, que pode ser removida parcial ou totalmente. Os pontos são retirados depois de uma semana, período em que a face pode ficar inchada e apresentar hematomas leves”.  

A mudança estética é garantida?    

A  expectativa de bochecha negativa nem sempre será atendida. A especialista revela os motivos: “Dependendo da estrutura facial, a bichectomia vai proporcionar uma mudança muito sutil, a ponto de não ser a opção ideal para conseguir o visual esperado”e neste caso, o tratamento deve ser complementado com preenchimentos em mandíbula e maçã do rosto”.  

Contra-indicações

A bichectomia é contraindicada para pessoas com o rosto muito magro, grávidas, pacientes com patologias hepáticas, renais e cardíacas, coagulopatias ou que tenham recebido radioterapia na região.

Riscos

Apesar de ser um procedimento simples, pode causar lesão no nervo facial, a qual prejudica movimentos da região e causa dores, além de poder afetar o ducto parotídeo, que transporta a saliva na boca, gerando acúmulo do líquido causando inchaço da bochecha, até ser drenado. Outros riscos, como infecções, assimetria facial e retirada excessiva da “bola de Bichat”, com esqueletização da face, que é o envelhecimento precoce da região. A gordura localizada na bochecha tem a função de sustentar a pele facial e, por isso, sua ausência pode resultar em flacidez na região com o passar dos anos.    

A Dra. Ana Paula explica que também a escolha do profissional é importante para minimizar riscos nos procedimentos:¨É de fundamental importância, escolher um cirurgião que estude o formato e as proporções faciais antes de indicar e planejar a plástica”, conclui.



Continue Reading

Trending

Copyright © 2019 Gazeta Nacional. Design by EGOBrazil.